Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘rio Três Bocas’

nascente do rio tres bocas

A imagem acima não remete à cidade de São Paulo, sofrendo com as enchentes. Essa é a nascente do Três Bocas, rio que surge em Arapongas, atravessando a cidade de Londrina para afluir ao rio Tibagí. É de verificar-se a grande quantidade de resíduos plásticos na foto. Isto se, deve em grande parte, pela negligência da população humana para com as sacolas plásticas. Muitas vezes, para levar da farmácia uma caixa de comprimidos se usa uma sacola, e exemplos não faltam. Quem já não viu no supermercado a dona de casa colocar poucos produtos em cada sacola ou reforçá-la com outra. E para onde vão as sacolas?

Sabe-se que 56% do lixo plástico no Brasil são constituídos por sacolas usadas apenas uma vez.

9,7% do lixo gerado são de sacolas plásticas.

Anualmente, produz-se 18 bilhões dessas sacolas em nosso país.

Pasmem, é um “montão” de sacolas! E elas não apenas deixam feias nossas paisagens. Sua decomposição é de até 500 anos. Esse resíduo é o que mais poluí cidades e campos, entupindo vias pluviais e prejudicando animais, estes que chegam a se asfixiar com os sacos.

O uso delas veio a explodir no Brasil a partir da década de 1980, crescendo junto com o consumismo da população. Cumpre observar, todavia, várias ações da iniciativa privada, visando diminuir o uso das sacolas. Dentre elas, se destacam:

– Redes de supermercados se mobilizam dando desconto de R$0,03 a cada sacola não utilizada;

– padarias incentivam o uso de sacolas retornáveis produzidas com algodão (fonte renovável).

Outra alternativa que vem sendo utilizada, sobretudo pelos supermercados, é o uso das oxi-biodegradáveis, a qual necessita de uma análise mais detalhada. Esse tipo de plástico usa a o processo de alto-degradação, ou seja, ele contém aditivos que em contato com oxigênio aceleram sua degradação para até 18 meses. É bem verdade que o tempo que ela “aparece” no meio-ambiente é bem menor, comparado às sacolas convencionais; porém, é de se lembrar que são produzidas, assim como as convencionais, por meio de resina derivada do petróleo. Ao se degradar, esse plástico não será mais visto, no entanto, ele estará presente na forma de micro-partículas que poderão contaminar os ecossistemas.

Como se observa, é de extrema importância o estudo dos impactos ambientais causados por essas embalagens. E, somente com o conhecimento desses estudos, deve-se empregar ou não novas tecnologias no segmento das embalagens plásticas.

Em virtude dessas considerações, cumpre ressaltar a importância de se buscar novas atitudes para a diminuição do uso, não só das sacolas plásticas, mas de todo tipo de embalagem. Registre ainda a responsabilidade para com o destino de todo o lixo que geramos. Como reflexo dessas, teremos um planeta mais limpo e saudável, não havendo imagens como a do rio acima que é fonte de vida para nossa região.

Gustavo Góes

Read Full Post »